CDL engajada com outras entidades para vencer a crise

atualizado em: 30/04/2020

CDL engajada com outras entidades para vencer a crise

A CDL de Igrejinha e Três Coroas integra o grupo de 25 entidades representativas que está articulando politicamente medidas que visem diminuir e conter os reflexos da crise causada pela pandemia do covid-19. A iniciativa foi destaque no Jornal NH desta quinta e sexta-feira, 30/04 e 1º/05, que noticiou a entrega de um ofício com ao manifesto “Abertura do Comércio x Manutenção dos empregos”. Nossa entidade, através de nossa diretoria, está articulando com autoridades municipais, regionais e estaduais, nas diferentes esferas de poder, para que, juntos, possamos vencer mais esse desafio. O documento foi entregue na quarta-feira ao presidente do Comitê de Crise do Estado, Paulo Morales, destinado ao governador do RS, Eduardo Leite.

Confira abaixo o texto do documento entregue, o qual esteve também na íntegra publicado no Jornal NH.

*Abertura do Comércio x Manutenção dos empregos*

As entidades representantes do setor coureiro-calçadista e as cidades onde o setor representa a base da economia, abaixo nominadas, encaminharam ao Governador do Estado Eduardo Leite o manifesto abaixo:

Considerando o avanço da pandemia da COVID-19, estamos cientes da necessidade de medidas emergenciais, para evitarmos o crescimento acentuado do número de infectados pelo vírus;

Considerando que o setor coureiro-calçadista, até o início da quarentena, empregava 87.000 pessoas em nosso Estado e que muitas famílias e até mesmo cidades dependem de alguma forma deste setor, pois, além do emprego e arrecadação de impostos, é por meio da renda gerada pela atividade calçadista que os setores de comércio e serviços destas cidades têm sua movimentação; Considerando que, em virtude da paralisação da maioria das atividades, as atividades do setor coureiro-calçadista também encontram-se paralisadas, o que já ocasionou, até este momento, mais de 6.500 demissões, 7,5% do estoque de emprego de dezembro de 2019, observado no setor. Números estes que podem chegar a 20.000 demissões, ou seja, quase 25% do total dos postos de trabalho caso as atividades não retornem ao normal nos próximos dias, pois as empresas não terão condições de manter seus funcionários. Isto porque o comércio cancelou os pedido sem carteira e ainda não sabe quando poderão quitar as duplicatas referentes aos pedidos já recebidos, pois com as portas fechadas não há venda e faturamento no comércio; Considerando que, com a paralisação destas atividades, a arrecadação de impostos do Estado e dos municípios irá reduzir drasticamente, dificultando o cumprimento das suas obrigações básicas.

Diante do exposto, solicitamos ao Governador a flexibilização do Decreto Estadual nº 55.185, de 16/04/2020, permitindo que o comércio da Região Metropolitana de Porto Alegre, respeitando todas as medidas sanitárias necessárias para preservar a saúde de seus funcionários e clientes, possa retomar as atividades. A abertura imediata do comércio movimentará as indústrias e manterá a economia ativa, assegurando os empregos, gerando renda e, assim, permitindo que todos mantenhamos cuidados com a saúde e a higiene necessários para enfrentarmos esta pandemia.

VAMOS COMBATER APANDEMIA, SEM MATAR A ECONOMIA!!

Voltar
Converse via Whatsapp

Copyright © 2020 | Desenvolvimento: