Recém-lançado pelo governo estadual, Programa RS TER já ajuda empresários em Três Coroas

atualizado em: 25/05/2021

Recém-lançado pelo governo estadual, Programa RS TER já ajuda empresários em Três Coroas

 

Buscando ajudar empresas e profissionais autônomos que vem sofrendo com a pandemia, o governo gaúcho criou o Programa RS TER – Trabalho, Emprego e Renda. Trata-se de uma política público-privada coordenada pela Secretaria do Trabalho e Assistência Social (STAS) e Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) com o foco na geração de trabalho, emprego e renda. O programa busca fomentar o empreendedorismo e apoiar micro, pequenas e médias empresas por meio de três eixos: acesso ao crédito, qualificação para gestão e acesso ao mercado.

Este auxílio se dará por meio de financiamentos com juros abaixo de mercado, sem necessidade de avalista/fiador, sendo o próprio governo estadual o garantidor do pagamento. Conforme o projeto e/ou objetivo, podem ser financiados até R$ 20 mil.

 

Três Coroas lançou programa e está ajudando empresas e pessoas físicas

No dia 30 de abril, através do FGTAS e do Sine o TER RS foi apresentado em Três Coroas. Conforme o coordenador municipal do FGTAS, Sergio Lima, o programa chega em boa hora e permitirá sanar dívidas de empresas, investir em reforma e/ou ampliação ou mesmo iniciar um projeto novo, entre outras possibilidades.

Desde o lançamento do programa, os três-coroenses estão contando com o auxilio do órgão municipal para fazerem seus projetos e solicitar o financiamento. “O FGTAS atua como um elo entre o financiador (empresário) e o agente financeiro (cooperativas de crédito). É necessário fazer um projeto, que é bem simples, onde o solicitante explicará como usará o valor, colocando no papel a sua ideia. Nós ajudamos nessa parte e também, quem não tiver acesso a internet ou familiaridade com o computador, nós ajudamos no processo”, explica Sérgio.

 

Quem pode ser beneficiado

Empreendedores da agricultura familiar, dos negócios informais, pequenos produtores rurais, microempreendedores individuais (MEIs) e empresas que tenham faturamento máximo de R$ 4,8 milhões/ano.

 

O que poderá ser financiado

Capital de giro: é de extrema importância para a qualidade da administração financeira do negócio e serve para atender as necessidades imediatas de caixa (pagar contas, comprar matéria-prima, estoque, salários etc). Geralmente tem um prazo menor de amortização.

Investimento: é um financiamento destinado ao negócio para aquisição de bens ou a ampliação, recuperação ou modernização de ativos fixos da empresa. Exemplos: a compra ou conserto de máquinas e equipamentos novos ou usados, veículos automotores, reformas ou infraestrutura. São caracterizados pelo prazo mais estendido da operação.

Voltar
Converse via Whatsapp

Copyright © 2021 | Desenvolvimento: